A DEMOCRACIA MORRE NA ESCURIDÃO

Carta ao leitor

Compartilhar:

Por LEONE OLIVEIRA

Antes de tudo, devo pedir desculpas pela foto. Não sou de tirar fotos. Percebe-se claramente que estou bem barrigudinho, com o rosto flácido e cheio de cabelos brancos. Não é um estado de conservação muito bom para um jovem de 21 anos. Hoje eu não estou mais assim, essa foto é antiga, foi tirada no mês passado. Os cabelos brancos continuam. A barriguinha também. O rosto está um pouquinho melhor (se é que posso dizer isso). Feito os esclarecimentos, comecemos.

Inigualável leitor, como você já sabe (e se não sabe, deveria), nunca foi segredo a pessoa que sempre esteve por trás do Fronteira 364. Sim, a pessoa é essa que vos escreve. Essa aberração da natureza que está conversando com você. Eu, Leone Oliveira.

O Fronteira 364 foi criado por mim há mais de um ano, e meu foco inicial sempre foi a política nacional e internacional. Nunca me imaginei escrevendo sobre política municipal, pois sempre a julguei sem graça. Dizia que não havia emoção, etc. Ledo engano.

Depois de começar a frequentar a Câmara Municipal de Ji-Paraná, vi que a política local era bem divertida e poderia ser objeto de muitos artigos e matérias. Sempre gostei de escrever e peço desculpas aos grandes escritores da nossa história. Eu desonro esse papel. Ainda estou aprendendo. Tenho apenas 21 anos.

Influenciado pelo excesso de crítica e sarcasmo muito utilizados por jornalistas que sempre li, como Diogo Mainardi, Mario Sabino, Felipe Moura Brasil e Claudio Dantas, pus-me a escrever sobre a política do município.

Não sei o motivo de terem dado tanta atenção para esse barrigudinho, caro leitor. Sou uma vergonha do ofício, mas por razões alheias ao meu conhecimento, a empreitada deu certo. O Fronteira 364 ficou conhecido. O negócio vingou. Oh, céus, como vingou!

A culpa é de vocês, caros leitores. A culpa é de vocês por esse troço ter vingado. Não é minha, é de vocês. Eu não vou carregar essa culpa, nem vem!

Devo dizer, meu inigualável leitor, que passei mais de um ano sem receber um centavo fazendo o que faço. Como disse: escrever é meu oxigênio. Sempre gostei de escrever. É meu hobby. Não ligo para dinheiro, em que pese tenha recebido muitas ofertas de políticos – e rejeitado todas.

Sempre rejeitei as ofertas por defender meus valores e princípios – e não por falta de necessidade. Aliás, sou pobrezinho, não tenho nada além da palavra, caro leitor. Só sei escrever. E por outro lado: não cabia em minha cabeça obedecer a algum político ou servir de instrumento de algum político. Nunca consegui me colocar nessa condição.

Mas estou escrevendo esse texto, meu fraterno leitor, para lhe dizer que, por eu ser jovem (21 anos), é comum que muitos da política venham até mim tentar me convencer de entrar para esse mundo. A última coisa que passou pela minha cabeça durante todo esse tempo foi entrar para a política, mas sou obrigado a concordar que é necessário novas pessoas.

Entenda-me, meu amigo leitor, eu tenho apenas 21 anos. Sou jovenzinho. Não posso deixar que um site seja uma ancora em minha vida. Quero navegar livremente pelas águas da vida. Quero voar que nem um passarinho – sempre defendendo o que é certo, claro.

Veja, meu amigo leitor: o Brasil é uma ditadura disfarçada e um País entregue aos corruptos. Você sabe disso. E eu me sinto no dever de ajudar de alguma maneira a mais.

Não, não vou ser candidato. Pelo menos eu não desejo. Amigo leitor, serei transparente com você: recebi um convite para ser Presidente Jovem de um Partido aqui no Estado de Rondônia.

É um partido que não possui nenhum político corrupto e preza pelos mesmos ideias que eu. Um partido que defende os bons costumes e a responsabilidade com o que é público.

Volto a dizer, meu estimável leitor: sou jovenzinho, tenho 21 anos, muita energia a gastar. Vejo que, para além dos textos críticos e sarcásticos sobre política, devo fazer algo a mais pela população.

Meu papel, amigo leitor, seria mobilizar a juventude do Estado de Rondônia. Aglutinar pessoas boas, que defendem bons ideais, e assim contribuir para que a população tenha bons líderes e representantes.

Era isso que eu tinha a dizer, meu amigo leitor. E não, não irei me distanciar do Fronteira. Continuarei escrevendo ao portal, sempre buscando a justiça.

Por fim, peço que você, amigo leitor, ao formular seu julgamento, leve em consideração que tenho apenas 21 anos e que sou um jovenzinho que muito tem a evoluir. Agradeço profundamente todos os momentos que estivemos juntos.

Meu abraço fraterno!

Indicado por: Leone Oliveira

5 1 vote
Classificação da Notícia
Assinar
Notificar quando>
guest
2 Comentários
Mais antigo
Recentes Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Almira. Martins Leite Gama
Almira. Martins Leite Gama
6 meses atrás

Eu admiro e tenho muito respeito por pessoas que tem coragem de se envolver hoje nesse meio que é a política para fazer a diferença, pois a coisa está tão vergonhosa que precisamos de pessoas como vc para mostrar que tem jeito e que pode dar certo levando as causas a sério , com respeito, princípios e honestidade. Vai em frente , que Deus ti abençoe e ti guarda!

Rayssa
Rayssa
6 meses atrás

Meu querido amigo, te admiro muito! Você traz leveza e esclarecimentos em assuntos tão importantes! Com você aprendo muito sobre a política e de forma clara, fico feliz por estar crescendo cada vez mais! Você merece o mundo e vai conquista-lo. Um grande abraço e muito sucesso sempre.

NOTÍCIAS RELACIONADAS...

2
0
Que tal fazer um comentário sobre essa Notícia!x