A DEMOCRACIA MORRE NA ESCURIDÃO

Um pastor no centro do poder

Compartilhar:

Por Leone Oliveira

Peça chave na vitória de Isau Fonseca para a prefeitura em 2020, o pastor Sadraque Muniz comanda a igreja mais movimentada do município de Ji-Paraná, motivo que a coloca no radar de muitos políticos interessados nos potenciais votos da instituição.

Sadraque é pastor presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, além de 1° secretário da CEMADERON (Convenção Estadual dos Ministros das Assembleias de Deus no Estado de Rondônia). Na igreja em que congrega, centenas de pessoas frequentam e ouvem atentamente as pregações do pastor, que também possui grandes raízes e interesses na política do município.

Uma fonte de dentro da igreja informou a esta coluna que, um dia antes das votações do pleito municipal de 2020, o pastor teria feito uma pregação com partes da Bíblia que falava do personagem “Esau” e que o líder evangélico enaltecida o “Esau”, do antigo testamento, fazendo um evidente paralelo com o candidato a prefeito Isau Fonseca (MDB) que passaria pelo escrutínio das urnas no dia posterior. Certamente, a pregação do pastor amigo foi fundamental em sua vitória.

Ao fim da apuração, Fonseca teve 27,57% dos votos. Foram 15.699 votos no total. O político eleito tomou posse no dia 1° de janeiro de 2021, no lotado auditório da Câmara Municipal, no qual fez seu breve discurso.  “Eu não tenho tempo para convencer ninguém. O meu tempo vou gastar trabalhando e muito para o povo de Ji-Paraná e não preocupado em convencer A, B, C ou D”, afirmou. Após eleito, o prefeito não esqueceu seu pastor amigo, que gozaria de plena influência no governo que se instalava.

A aproximação do pastor com a política não é recente. Em 15 de novembro de 1982, na primeira eleição da história de Rondônia, Sadraque Muniz foi um dos 24 (vinte e quatro) deputados eleitos. Seu partido era o famoso PMDB, que teve papel fundamental durante o regime militar, período no qual esteve em vigência o “bipartidarismo”: Arena (aliados do regime) e MDB (oposição ao regime). O líder evangélico foi deputado por 2 (dois) mandatos em Rondônia.

Sadraque foi eleito com um posicionamento contra a ditadura e já tinha muita influência dentro da Igreja Assembleia, e não nega que tenha utilizado essa “vantagem” para conseguir se eleger. “Tinha um programa evangélico na rádio Alvorada, era o único. Atingia o estado e até o município de Humaitá”, afirmou o pastor no dia 21 de março de 2017, na sede da Igreja Assembleia de Deus do município de Ji-Paraná, ao expor um dos fatores que contribuíram para sua eleição. Naquele dia, Sadraque alegou estar afastado da política, dedicando-se apenas aos ofícios da Igreja.

Todavia, naquele pleito de 1982, em que Sadraque disputava uma vaga na Assembleia Legislativa de Rondônia, o mesmo já tinha cargo eclesiástico na citada instituição religiosa, bem como pertencia a uma família de evangélicos, cujo período de seu nascimento, seu pai era pastor nesta organização evangélica. Assim, sua trajetória de vida encontra-se diretamente relacionada com a igreja Assembleia de Deus (DIAS. 2018).

Passados alguns anos, a amizade entre o líder evangélico e aquele que com sua ajuda foi eleito prefeito de Ji-Paraná, Isau Fonseca, prometia render frutos. E rendeu. Nas sessões do dia 04 e 09 de agosto de 2022, a Câmara Municipal de Ji-Paraná aprovou, por maioria de votos, o projeto de lei 3127, que entregou um terreno com 2.040,00 m², localizada no bairro Andreazza, para a Igreja Assembleia, pelo tempo de 10 (dez anos). O Projeto de Lei 3127 era de autoria de Isau Fonseca.

Em ambas as sessões, estavam presentes dezenas de portariados do município que aplaudiam todos os pronunciamentos feitos pelos vereadores da base aliada do prefeito. Os únicos vereadores vaiados por terem se posicionado contra a lei foram o vereador Brunno Carvalho (Solidariedade), Rosana Pereira (Novo), Edisio Barroso (Solidariedade) e Vera Marcia (PT).

Pouco provável que a concessão do terreno seja revogada depois de 10 (dez) anos, uma vez que nenhum prefeito terá coragem de tomar uma medida contra os interesses de um grande curral eleitoral que é a Assembleia de Deus. Mas tal assunto já teria sido enterrado, não fosse um pequeno detalhe: o pastor Sadraque Muniz possui um grande terreno baldio que poderia ser utilizado pela Assembleia, aos invés de ter pegado o terreno do município. Veja nas imagens abaixo.

Em uma das placas, lê-se claramente: “Assembleia de Deus – Pastor Sadraque Muniz”. O questionamento que muitos vereadores levantam, em especial o vereador Brunno Carvalho (Solidariedade), é o porquê do pastor não ter utilizado o seu terreno ao invés de pegar o terreno público do município. O terreno do pastor fica ao lado de um frigorífico, na linha 94.

Para além da concessão do terreno, Isau Fonseca também nomeou a filha do pastor, Marley Muniz, para o Cargo de Supervisora Executiva do Gabinete do chefe do executivo, com remuneração de R$ 6.000,00 (Seis mil reais). Não apenas ela teria sido nomeada. Conforme relatos, muitas pessoas da Igreja Assembleia teriam ganhado portarias na prefeitura.

Esses laços que o pastor possui com o poder, estão longe de condizerem com o discurso do mesmo em 2017, ano no qual alegou estar afastado da política. Sadraque apresenta estar bem presente, em pleno vigor e atividade com a politica local. Literalmente no centro do poder.

4 4 votes
Classificação da Notícia
Assinar
Notificar quando>
guest
3 Comentários
Mais antigo
Recentes Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Eliel Vasconcelos
Eliel Vasconcelos
8 meses atrás

Que comece a caçada e jogo político.

Locimar Massalai
Locimar Massalai
8 meses atrás

Tudo em nome de Deus.

Locimar Massalai
Locimar Massalai
8 meses atrás

Situação séria que precisa ser apurada com seriedade e celeridade. Quando se mistura poder religioso com poder político coisa boa não resulta. Nunca.

NOTÍCIAS RELACIONADAS...

3
0
Que tal fazer um comentário sobre essa Notícia!x